terça-feira, 15 de abril de 2014

Resenha [#9] : Estilhaça-me, de Tahereh Mafi


Editora: Novo Conceito
 
Páginas: 304

ISBN: 9788563219909

Skoob: aqui.



Sinopse : Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.
 
             Eu fiquei até mal de fazer essa resenha. Eu amo distopias mas essa me decepcionou um tanto. Quando li a sinopse e resenhas positivas pensei : esse livro tem tudo para ser um dos meus favoritos ! E não foi bem assim.
             Como a sinopse já "entregou" ali em cima, Juliette não toca pessoas a exatos 264 dias. Ela tem 17 anos e embora ela não saiba exatamente onde está, nem qual mês ou dia da semana, ela sabe que está isolada há 264 dias. Presa na cela onde está, ela tenta se convencer de eu não é louca. E eu já não estava gostando muito disso, pois o livro apenas relatava ela trancafiada na cela do manicômio.
             Acontece que Juliette tem um certo tipo de "dom". O toque dela pode ser letal e é por isso que sua família lhe abandonou e ela está onde está. Mas o Restabelecimento quer usá-la como uma arma e por isso a deixam viver.
              Então depois de conhecer um pouco da solidão dela, "descobrimos" que ela terá companhia e ela fica ansiosa e nervosa porque não sabe como reagir a seu novo colega que irá dividir a cela.
             Ela tem os planos dela, o Restabelecimento os dele, e ao decorrer do livro vemos os dois desenvolverem planos para seguir com suas ideias e alcançar seus objetivos.
             O mundo distópico apresentado por Mafi é um lugar onde já não existe mais camada de ozônio, o solo é contaminado e os pássaros não voam. Com essa ideia de lugar, acho que dava para ter explorado muito mais, mas ela insistiu em falar na Juliette aprisionada.
             Outra coisa que me incomodou é que quando Mafi queria enfatizar algo, ela não "economizava" na repetição de palavras, ela repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia repetia e eu pulei várias partes assim.
             Mas o livro não é de todo mal, algo que apreciei gostei adorei amei foi isso que acabei de fazer. O livro é narrado pela Juliette e em algumas partes tem palavras riscadas dessa maneira, deixando assim a brecha para saber mais dela.
             Eu acho que o modo como terminou, deixou no ar um gosto bom, um gosto que me faz pensar que "Liberta-me" vai ser incrível ! Sem dúvida melhor que esse.
             Além de tudo, li rápido pois tem uma diagramação muito boa, a capa é linda, os capítulos não são tão compridos (o que eu acredito que ajude na leitura) e no início de cada capítulo tem um desenho como se fossem luzes ou raios, adorei isso.

             É isso pessoal, aguardo ler "Liberta-me" e descobrir se estava certa de que o segundo livro vai salvar a trilogia.
             Qual sua opinião sobre o livro ? Me conte aqui nos comentários !
             Beijos, Rapha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo recadinho ! Assim que ler eu respondo, beijinhos ;*